Movimento feminista no pós-segunda onda: notas teóricas e de campo sobre novas atrizes e práticas do(s) feminismo(s) contemporâneo(s)

  • Cyrana Borges Veloso UFMG

Resumo

Resumo: o objetivo deste trabalho é trazer bibliografias recentes juntamente com notas de campo - observadas por mim em 2015 – sobre a Marcha das Vadias de Belo Horizonte para versar sobre as mudanças, descontinuidades e transformações no repertório, nas pautas, na forma de organização e nas estruturas do movimento feminista no pós-segunda onda no Brasil, identificado aqui como feminismo contemporâneo.
 
Abstract: the objective of this work is to bring recent bibliographies along with field notes - observed by me in 2015 - about the Slut Walk of Belo Horizonte to discuss changes, discontinuities and transformations in the repertoire, in the patterns, in the form of organization and in the structures of the post-second wave feminist movement in Brazil, identified here as contemporary feminism.
 
 
 

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Possui graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2012) e mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2016). Atualmente é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Sociologia na Universidade Federal de Minas Gerais (2018) com pesquisa na área de: gênero, feminismos contemporâneos e movimentos sociais.

Referências

ALVAREZ, Sônia E. Para além da sociedade civil: reflexões sobre o campo feminista. Cadernos Pagu, Campinas, n, 43, janeiro-junho de 2014:13-56.

CARDOSO, Elizabeth. “Imprensa feminista brasileira no pós-1974”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, nº 12, setembro-dezembro de 2004

CORRÊA, Mariza. Do feminismo aos estudos de gênero no Brasil: um exemplo pessoal. Cadernos Pagu, Campinas. n. 16, 2001, p. 13-30.

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, jan. 2002.

FACCHINI, Regina; FERREIRA, Carolina Branco de Castro. Feminismos e violência de gênero no Brasil: apontamentos para o debate. Cienc. Cult., vol. 68, no 3, São Paulo, 2016, pp.04-05.

GARCIA, Carla Cristina. Breve história do feminismo. São Paulo: Claridade, 2011.

______. Os novos feminismos e os desafios para o século 21. Cult, São Paulo, v. 199, n. 18, s/p 03/2015. Disponível em: http://revistacult.uol.com.br/home/2015/03/osnovosfeminismos-e-os-desafios-para-o-seculo-21/. Acesso em: 03/11/2015

GOMES, Carla; SORJ, Bila. Corpo, geração e identidade: a Marcha das vadias no Brasil. Sociedade e estado, Brasília, v. 29, n. 2, p. 433-447, ago. 2014.

GONÇALVES, Eliane. Renovar, inovar, rejuvenescer: processos de transmissão, formação e permanência no feminismo brasileiro entre 1980-2010. Revista Brasileira de Sociologia. Vol. 4, n. 7, jan/jun 2016.

______; FREITAS, Fátima; OLIVEIRA, Elismênnia. Das Idades transitórias: As “jovens” no feminismo brasileiro contemporâneo, suas Ações e seus dilemas. Revista Feminismos, Salvador, Bahia, NEIM/Universidade Federal da Bahia, nº 1(3), 2013.

HARAWAY, Donna. Manifesto ciborgue: Ciência, tecnologia e feminismo socialista no final do século XX. In: HARAWAY, Donna; KUNZRU, Hari; TADEU, Tomaz (org.). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

MALUF, Sônia W. (2006). Políticas e teorias do sujeito no feminismo contemporâneo [Resumo]. In Anais do VII Encontro Internacional Fazendo Gênero. Florianópolis: UFSC, 2006.

PRECIADO, Beatriz. Multidões queer: notas para uma política dos "anormais". Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 11-20, abr. 2011

SANTOS, Sônia Beatriz dos. As ONGs de mulheres negras o Brasil. Sociedade e Cultura, Goiânia, nº 12, v. 2, 2009, pp.275-288.

VELOSO, Cyrana B. 'Se ser livre é ser Vadias somos todas Vadias?' A Marcha das Vadias e os movimentos feministas brasileiros. Em Debate, Belo Horizonte, v.8, n.5, p.33-41, jul. 2016.
Publicado
2019-02-11
Como Citar
VELOSO, Cyrana Borges. Movimento feminista no pós-segunda onda: notas teóricas e de campo sobre novas atrizes e práticas do(s) feminismo(s) contemporâneo(s). Rebeh - Revista Brasileira de Estudos da Homocultura, [S.l.], v. 1, n. 04, p. 192-209, feb. 2019. ISSN 2595-3206. Disponível em: <http://www.revistas.unilab.edu.br/index.php/rebeh/article/view/162>. Acesso em: 23 may 2019.
Seção
Dossiês Temáticos