O Fervo, a Diversidade Sexual e de Gênero e a Pedagogia da Prevenção

  • Vinicius Alves da Silva Universidade Federal da Bahia

Resumo

O presente artigo apresenta-se como um diálogo entre as pesquisas em HIV/AIDS e o campo teórico-político da diversidade sexual e de gênero. Utilizo como elemento para tal reflexão o estudo etnográfico realizado para conclusão do Bacharelado em Estudos de Gênero e Diversidade denominado “Em Defesa do Fervo: olhares etnográficos sobre a emergência da produção de cuidado no contexto de festas urbanas de Salvador-Bahia-Brasil”. Entendi ser relevante contribuir no sentido da recomposição dos estudos e lutas LGBTI+ no país com este outro histórico campo que construiu os estudos e as respostas a epidemia de AIDS no final dos anos 80 e início dos anos 90 (sobretudo a sua potente corrente comunitária). Contudo, acredito que esta reaproximação deve ocorrer com atualização do nosso olhar e reconhecimento sobre novas formas de organização política e protesto social. Defendo o fervo como um contexto privilegiado para isso, por ser ele protagonizado por pessoas jovens, negras(os), mulheres e LGBT, de periferia. O conjunto de coletivos e coletividades organizadoras de festas urbanas politicamente engajadas (as quais denomino de Fervo), nos demonstram hoje um potencial organizacional e cuidador emergente (no sentido de urgência e de surgimento). Apostamos que o reconhecimento delas(deles) pode auxiliar no processo de reflexão e oxigenação das nossas estratégias no movimento LGBTI+ no Brasil. No mesmo sentido, podem ainda fortalecer o que tem sido apontado nas produções recentes da ABIA, e de seu diretor-presidente Richard Parker, sobre a chamada “pedagogia da prevenção” – novo paradigma social proposto pela entidade para organização de resposta à epidemia. Propomos aqui a abertura de algumas reflexões envolvendo o fervo, a diversidade sexual e de gênero e a pedagogia da prevenção.

Referências

BRASIL, República Federativa do. Boletim Epidemiológico - Aids e DST-Ano V - no 1 - 01a à 26a semanas epidemiológicas - janeiro a junho 2017. In: Secretaria de Vigilância em Saúde - Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, editors. Brasília. 2017.
DUSSEL, Enrique. 20 Teses de política. 1ª ed. Buenos Aires. Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO). São Paulo. Expressão Popular. 2007.
GAVIGAN, Kelly; RAMIREZ, Ana; MILNOR, Jack. PEREZ-BRUMER, Amaya; TERTO JR., Veriano; PARKER, Richard. Pedagogia da Prevenção: Reinventando a prevenção do HIV no século XXI. In: Perspectiva Política – Novembro 2015. Disponível em: http://abiaids.org.br/wp-content/uploads/2015/11/PolicyBrief_portugues_jan2016.pdf acessado em 09 de Setembro 2018.
MACRAE, Edward. A construção da igualdade: Identidade Sexual e Política no Brasil da "Abertura". Campinas. Editora da UNICAMP. 1990.
_____. Movimentos Sociais e os Direitos de Cidadania dos Homossexuais. In: ARAÚJO, A. (Org.). Trabalho, cultura e cidadania - um balanço da história social brasileira. São Paulo, SP: Editora Scrittta, 1997, pp. 237-242.
_____. Os respeitáveis militantes e as bichas loucas. In; MACRAE, E. et al (Orgs.). Caminhos Cruzados - Linguagem, Antropologia e Ciências Naturais. São Paulo - SP: Editora Brasiliense, 1982. pp. 99-111.
______. Em Defesa do Gueto. In; Novos Estudos CEBRAP. Vol. 2, nº 1, abril de 1983. pp. 53-60.
MERHY, Emerson Elias. O cuidado é um acontecimento e não um ato. In: Trabalho, produção do cuidado e subjetividade em saúde (Textos Reunidos). (idem, Orgs). São Paulo. Hucitec Editora. 2013. p. 172-182.
MORAS, Alana; TIBLE, Jean. Quando novos personagens entram em cena? In: MORAES, Alana; TARIN, Bruno; TIBLE, Jean (Org). São Paulo. Fundação Friedrich Ebert Stiftung (FES). 2015. p. 14-39.
PARKER, Richard. Sobre a história da ABIA e a resposta brasileira frente à AIDS. In: História de luta contra a AIDS. Brasília. 2015
PEREIRA, Carlos Alberto M.. O que é contracultura?. São Paulo. Brasiliense. 1983.
RACE, Kane. Pleasure consuming medicine. The queer politics of drugs. Nova York. Duke University Press. 2009.
_____. Party Animals: The significance of drug practices in the materialization of urban gay identity. In: S. Fraser & D. Moore (eds.) The Drug Effect: Health, Crime & Society. Cambridge University Press. Melbourne. Cambridge University Press. 2011.
Publicado
2019-02-11
Como Citar
SILVA, Vinicius Alves da. O Fervo, a Diversidade Sexual e de Gênero e a Pedagogia da Prevenção. Rebeh - Revista Brasileira de Estudos da Homocultura, [S.l.], v. 1, n. 04, p. 163-191, feb. 2019. ISSN 2595-3206. Disponível em: <http://www.revistas.unilab.edu.br/index.php/rebeh/article/view/166>. Acesso em: 23 may 2019.
Seção
Dossiês Temáticos